terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Primeira notícia e primeira foto do projeto: Rio Eu Te Amo

O ator Wagner Moura usou um dublê para a filmagem do projeto Rio Eu Te Amo. O ator estará em Inútil paisagem, segmento do projeto dirigido por José Padilha, diretor de Tropa de Elite.

O ator interpreta Gui, um instrutor de asa-delta, e para as cenas de voo, foram utilizados um simulador e um dublê para substituí-lo.

Na trama, Cleo Pires e Caio Junqueira formam um casal, que mora em um apartamento com vista para a Lagoa Rodrigo de Freitas, e passam por uma situação complicada.

O filme Rio Eu Te Amo faz parte de um projeto homônimo, que tem como objetivo incentivar gestos de amor pela cidade.

O filme seguirá o formato de Paris Je t’aimee News York I Love You e contará dez histórias de amor vividas na cidade sob a ótica de diferentes diretores brasileiros e estrangeiros.
 
Foto do site do projeto: http://rioeuteamo.net/home
 
 
Fonte: Estrelando e Rio Eu Te Amo

sábado, 1 de fevereiro de 2014

Quem procura, acha

Caio Junqueira revela que se ofereceu para participar de "Milagres de Jesus".

Quando soube que a Record produziria a próxima minissérie bíblica, Milagres de Jesus, Caio Junqueira logo manifestou o interesse em participar. Principalmente porque teria a oportunidade de reencontrar pessoas com quem já havia trabalhado no cinema em filmes como Tropa de Elite. E o fato de ter estado no ar recentemente em um projeto similar José do Egito só serviu para instigar ainda mais o ator a buscar um registro diferente. "A história que eles tinham proposto para a série também era muito interessante para mim. Talvez esse tenha sido um dos primeiros trabalhos para o qual me coloquei à disposição", calcula ele, que interpreta o apóstolo Pedro.
Acostumado com a intensa preparação para uma produção bíblica, mais uma vez, Caio participou, ao lado do elenco, de palestras com historiadores promovidas pela Record, além de conversas com os diretores. A história de Pedro, o ator já conhecia há tempos, desde a infância. Mas, para representar o que está escrito na Bíblia e as tramas criadas pelos autores, ele resolveu se aprofundar nas qualidades do personagem. "Tentei humanizá-lo ao máximo, trazer Pedro para a realidade que eu acredito que seria a mais próxima do cotidiano daquela época", explica.
O visual não é tão diferente do que Caio exibia em seu último trabalho, na pele do inescrupuloso Simeão. Continua com cabelo comprido e barba. No início das gravações, teve de colocar aplique. Mas, com o passar do tempo, pôde usar os próprios cabelos já mais crescidos. O ator, inclusive, se diz acostumado com as constantes mudanças que precisa se submeter fisicamente para os personagens que interpreta. "Já tive todo tipo de cabelo: com mega hair, curto, raspado, enrolado, com chapinha... Não sou dono do meu cabelo e nem da minha barba. O dono é quem me contrata", brinca ele, que emagreceu oito quilos para atuar em Milagres de Jesus.
Além disso, pescar em réplicas de barcos do período retratado, com velas quadradas, ajudou Caio a entender melhor a realidade do personagem. "A equipe de cenografia construiu as navegações e pudemos velejar de verdade. Tivemos uma preparação de costumes para tentar trazer coerência ao argumento que estamos contando", ressalta. Grande parte das gravações foi realizada em cidades do Piauí e Paraná. No Nordeste, inclusive, o ator recorda as dificuldades enfrentadas pelo elenco e equipe. Além do forte calor, volta e meia, o vento espalhava muita areia. "A gente engolia areia, vinha no olho o tempo inteiro. Mas, na hora de rodar, todo mundo se esforçava porque sabia que a locação era essencial para a beleza e qualidade do trabalho", exalta.
Desde que estreou na tevê, em Tamanho família, série de humor exibida pela extinta Manchete em 1985, Caio acumulou personagens do tipo bom moço. Foi a partir do filme Tropa de Elite que o ator percebeu que passou a ser chamado para papéis que fogem desse perfil, como o policial corrupto Romero de A lei e o crime e o Simeão de José do Egito. "Acho que, depois do filme, o mercado viu em mim a versatilidade de poder sair do arroz com feijão e ir para coisas mais fortes. Mas já fiz muito menino virgem, puro, bonzinho, filhinho de papai...", recorda, aos risos. Longe das novelas desde Ribeirão do Tempo, de 2010, Caio está escalado para Vitória, que substituirá Pecado mortal. Mas jura ainda não saber detalhes sobre seu personagem. "Não posso adiantar nada porque ainda não tive uma reunião oficial sobre isso, nem sei direito como vai ser", despista.
Milagres de Jesus, Record, quarta, às 21h45

Fonte: Notícia publicada na edição de 01/02/14 do Jornal Cruzeiro do Sul, na página 003 do caderno Mais Tv - o conteúdo da edição impressa na internet é atualizado diariamente após as 12h.

domingo, 26 de janeiro de 2014

Relembre o melhor e o pior da TV nesta semana - Yahoo

O que foi legal:

"A Pesca Maravilhosa", primeiro episódio da série "Milagre de Jesus" (Record). Bonita produção que contou a atuação do ótimo Caio Junqueira. Não por acaso a estreia rendeu 10 pontos de audiência (cada ponto equivale a 62 mil domicílios).



Fonte: Yahoo

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Milagres de Jesus estreia na Record com cena cinematográficas



Uma tempestade no mar para cineasta algum botar defeito deu início ao primeiro episódio da minissérie "Milagres de Jesus" (Record) nesta quarta-feira (22). "A Pesca Maravilhosa", de Vivian de Oliveira, com direção geral de João Camargo, trouxe para a telinha um trabalho primoroso de cenografia, iluminação e sonoplastia. Todo o clima solene que uma história religiosa exige, com interpretações à altura. O destaque ficou por conta do Simão Pedro vivido pelo sempre talentoso ator Caio Junqueira. Marcaram presença também os veteranos Antônio Grassi (Zebedeu) e Jorge Cerruti (Onias). As mulheres estiveram muito bem representadas pelas atrizes Valéria Alencar (Tamar) e Janaina Moura (Lídia). Há muito que a pesca não estava dando bons resultados para Simão Pedro (Caio) e seus companheiros de trabalho e, para preocupá-lo ainda mais, a sua sogra Tamar (Valéria) está à beira da morte. Ele tenta levar uma autoridade religiosa para orar por ela, mas já naquele tempo as bênçãos custavam caro e ele não podia pagar.

Jesus (Flávio Rocha) sabendo disso vai até a sua casa atender a já moribunda Tamar. Cena particularmente bela e envolvente a da chegada de Jesus à casa de Simão Pedro. A câmera mostra os pés do Cristo chegando, envoltos numa grande luz, ao som de uma música celestial. Ao aproximar-se de Tamar, apenas a mão de Jesus aparece em destaque, abençoando-a. Mistério e emoção à flor da pele. Mesmo depois de acompanhar com os seus próprios olhos o "milagre" que Jesus ministrou em sua sogra, Simão não se dá por satisfeito e duvida do messias. "Ele pode ser apenas mais um falso profeta!", argumenta o pescador. Então todos pescadores voltam ao mar onde passam a noite e nada. Nem um só peixe. Jesus aparece e pede a Pedro para subir em seu barco. Ali faz um rápido sermão para uma pequena multidão que já o seguia. "Vim para trazer vida e vida em abundância", disse o mestre. E pede a Simão que retorne ainda uma vez ao mar com o seu barco. E o milagre dos peixes acontece. Ao ver aquela fartura de peixes ao redor do barco, Simão Pedro exclama extasiado: "Você tinha razão, André! Ele é o mestre: o Rei dos Reis!". Vai até a praia e se prostra frente a Jesus: "Senhor, eu não sou digno de estar na sua presença. Sou apenas um pecador!", declara Simão. "Não temas", lhe responde o Cristo, "doravante serás pescador de homens". Talvez o título do programa tenha permanecido um tempo longo demais na tela, além do símbolo da emissora que é comum. Mas nada que abalasse o interessante clima sacro conquistado pela bela ambientação, pela sensível sonoplastia, pela esmerada iluminação e pelo capricho da direção de arte da minissérie. E os "Milagres de Jesus" estão apenas começando na Record. Seguem na próxima quarta-feira com "A Mulher Encurvada", do talentoso autor Renato Modesto. Vale conferir.

Fonte: Folha de São Paulo 

Série da Record, ‘Milagres de Jesus’ faz boa estreia



Já se falou muito sobre o fato de as séries bíblicas representarem o maior acerto da teledramaturgia da Record. A premissa continua valendo para “Milagres de Jesus”, mas apenas parcialmente. A estreia de anteontem na emissora é uma coprodução com a Academia de Filmes. O primeiro programa, “A pesca maravilhosa”, gravado no Paraná e no Piauí, foi estrelado por Caio Junqueira (Simão, que depois se torna apóstolo de Jesus e vira Pedro). O ator fez bonito no papel principal da trama escrita por Vivian de Oliveira e dirigida por João Camargo.

Adaptar relatos bíblicos é um acerto por si. Sua base é histórica, mas eles não exigem fidelidade aos fatos, até porque, no geral, não vieram de fontes primárias. Servem, por excelência, à fantasia, a variáveis subjetivas, embarcam na fé. Como se não bastasse, não caducam nunca e sua riqueza é inesgotável em vários aspectos: dos tipos humanos à voltagem e à quantidade de aventuras. “A pesca maravilhosa” teve tudo isso. Simão, um pobre hebreu pescador explorado pelos romanos, é salvo da miséria por um milagre. Uma fábula positiva e bonita. Caio Junqueira colaborou muito para o programa quando o texto escorregou para o chavão (o que, justiça seja feita, não foi uma nota dominante). Chamou a atenção também o bom trabalho de Janaína Moura, a Lídia. O elenco, no geral, brilhou.
Não foi difícil notar no ar o resultado do custo médio por episódio anunciado pela emissora: R$ 900 mil. Goste você ou não das câmeras lentas e da trilha dramática, não se pode acusar a realização de “Milagres de Jesus” de capenga. Sequências subaquáticas e efeitos convincentes cooperaram para a boa impressão que ficou depois que o programa terminou.
Foi uma estreia correta tecnicamente. Mas quem esperava inovação ou grandes doses de criatividade se decepcionou. Toda a ação no Mar da Galileia era em tons de azul. No deserto, predominou o sépia. Os figurinos foram produzidos com metros e metros de juta e à base de muito tingimento em tons de chá etc. A cenografia, também de qualidade, embarcou igualmente nessa escolha do retrato mais literal. Cada poeira do deserto que voava merecia um clipe com trilha sacra.
O toque de originalidade ficou por conta da decisão de não mostrar o rosto de Jesus. A intenção, disseram os criadores da série em entrevistas, era jogar a luz principal sobre o personagem que recebeu o milagre — no caso da estreia, Pedro. Mas foi mais uma daquelas ideias à primeira vista surpreendentes, que, na prática, têm efeito inverso. Em vez de destacar Pedro, essa iniciativa serviu para deslocar toda atenção de algumas cenas para o rosto que não se enxergava. A curiosidade de ver a fisionomia do Nazareno se impôs sempre que ele apareceu (ou não apareceu, como queira o leitor).
No geral, a série merece a sua atenção. Anteontem, a programação da emissora preferiu não apostar em milagres e o episódio começou no minuto seguinte ao encerramento de “Amor à vida”, interrompendo o “Jornal da Record” abruptamente. É torcer para que mantenham a produção no ar em horários regulares.

Fonte: Patrícia Kogut

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

No ar em série bíblica, Caio Junqueira afirma que sua religião é o trabalho

Intérprete do apóstolo Pedro na minissérie bíblica "Milagres de Jesus", que estreia nesta quarta-feira (22), às 21h45, na Record, Caio Junqueira contou que não segue nenhuma religião nem faz parte de nenhuma igreja.
"Tenho minhas filosofias e acredito em tudo o que há de bom. Tento captar o que há de melhor em todas as religiões e seguir a minha vida. Minha religião é o meu trabalho. Hoje em dia é o que acredito", afirmou o ator, que estrela o primeiro episódio da produção, chamado "A Pescada Maravilhosa".
Para viver o primeiro apóstolo de Jesus, contudo, Caio precisou mergulhar na bíblia e passou até a acreditar em milagres. Ele contou que se tivesse o privilégio de ser agraciado por um, certamente pediria paz. "Seria um milagre se acabassem as guerras", opinou.
Escrito por Vivian de Oliveira, "A Pescada Maravilhosa" conta como o pescador Simão se tornou discípulo de Jesus e passou a se chamar Pedro. Na passagem, os pescadores passam por um grande período de dificuldade.
Pressionados a pescar uma grande quantidade de peixes para pagar pelos barcos e também os altos impostos, André (Marcello Gonçalves), irmão de Simão, chama a atenção dele para as palavras de Jesus, que já era seguido por uma multidão na Galiléia.
Mas Simão não acredita que Jesus é o Messias, nem mesmo quando ele vai até sua casa e cura sua sogra, que estava à beira da morte. No entanto, quando Simão ouve Jesus pregando para uma multidão na praia, fica maravilhado com suas palavras. Até que um milagre ainda mais poderoso que a cura da mãe de sua esposa acontece e ele não tem mais dúvidas de que Jesus é o Messias enviado por Deus.
Caio contou que as gravações aconteceram no Piauí e no Paraná. E admitiu que não foi fácil gravar as cenas de praia. "No Piauí enfrentamos um calor quase insuportável. Filmamos em lugares lindos, mas passamos por algumas dificuldades naturais. Gravávamos perto de uma duna, então engolíamos muita areia e também entrava muita areia nos nossos olhos. Mas aquela locação foi essencial para a beleza do trabalho", afirmou.
Além de trocar ideias com historiadores, a autora Vivian de Oliveira, e o diretor João Camargo, o ator disse que aprendeu a pescar da mesma forma como os pescadores faziam milênios atrás.
"A pescaria do Pedro é uma das formas mais arcaicas do ocidente, com vela quadrada, no braço. A equipe de cenografia construiu barcos de verdade, réplicas reais dos que eram usados na época. Também tivemos uma preparação de costumes", lembrou, acrescentando que perdeu oito quilos de "José do Egito", no ano passado, para cá.
"Tomei muito suco de couve de manhã, além de alimentação, exercício físico e muito trabalho. O trabalho queima muita caloria", ensinou.
Caio contou que, assim como Flávio Rocha – ator que interpreta Jesus, mas só aparece de costas na minissérie –, também estará em todos os episódios de "Milagres de Jesus".
"Como a história começa com a agregação dos apóstolos e o encontro de Jesus com Pedro, André, João Evangelista, Tiago e consequentemente os outros apóstolos, nós [apóstolos] vamos seguindo Jesus. E como todos os episódios são sobre os milagres de Jesus, onde tem milagre tem os apóstolos", explicou.
O ator aproveitou para elogiar o trabalho de Flávio, que, segundo ele, tem feito um trabalho belíssimo, já que tem que retratar toda a energia de Jesus sem poder mostrar sua fisionomia e suas expressões faciais.
"O Flávio é um ator espetacular. Toda emoção vem para o corpo, para as mãos, para o tom da sua voz. Realmente é um trabalho muito especial e admiro muito ele por isso", disse.

Fonte: Uol

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Tudo sobre o primeiro episódio de Milagres de Jesus: A Pesca Maravilhosa!

Caio Junqueira está a frente do elenco da milionária produção da Record
Amanhã, estreia Milagres de Jesus na telinha da Record. Escrita por Vivian de Oliveira, a série terá um episódio por semana e contará a saga de uma pessoa agraciada por um milagre. No primeiro, A Pesca Maravilhosa saberemos como o pescador Simão (Caio Junqueira) se tornou discípulo de Jesus, passando a se chamar Pedro. Nessa passagem, os pescadores viviam um período de grande dificuldade. Pressionados por Onias (Jorge Cerruti), eles precisavam conseguir uma grande quantidade de peixes para pagar pelos barcos e também os altos impostos. Em meio aos dias de sofrimento e angústia, André (Marcello Gonçalves), irmão de Simão, chama a atenção dele para as palavras de Jesus, que já era seguido por uma multidão na Galiléia. Mas Simão não acredita que Jesus é o Messias, nem mesmo quando ele vai até sua casa e cura sua sogra Tamar (Valéria Alencar), que estava à beira da morte. No entanto, quando Simão ouve Jesus pregando para uma multidão na praia, fica maravilhado com suas palavras. Até que um milagre ainda mais poderoso que a cura da mãe da esposa de Simão acontece, e ele não tem mais dúvidas de que Jesus é o Messias enviado por Deus. No elenco estão também com Janaina Moura, Antonio Grassi, Mauricio Ribeiro, Rodrigo Vidigal, Erick Maximiano, Cassio Pandolfi, entre outros. Vamos conferir!

Fonte: M de Mulher

domingo, 19 de janeiro de 2014

Record estreia quinta minissérie bíblica nesta segunda

‘Milagres de Jesus’ terá 18 episódios com começo, meio e fim. 



RIO — A Record segue investindo em minisséries bíblicas. Estreia quarta, às 21h35, a quinta aposta da emissora: “Milagres de Jesus", com cenas gravadas no Paraná e no Piauí. Desta vez, cada um dos 18 episódios tem começo, meio e fim.
— Cada milagre é abordado em um telefilme completo, sem deixar de existir a ligação temática entre todos os episódios. Cada capítulo narra uma história diferente. A ligação entre eles é que Jesus e seus discípulos estão em todas as histórias da série, que será semanal — explica o diretor-geral da atração, João Camargo.
O primeiro episódio da série, “A pesca maravilhosa”, conta como o pescador Simão (Caio Junqueira) passou a se chamar Pedro, ao se tornar discípulo de Jesus. A história mostra que Simão só começou a crer que Jesus era o Messias após o ver pregando para uma multidão na praça. As provas dadas antes, como a cura da sogra do pescador, Tamar (Valéria Alencar), não o haviam convencido.
— A ideia é mostrar o milagre do ponto de vista de quem o recebeu, quem foram essas pessoas. Peguei o enfoque de Pedro. Fui pesquisar aquela época do Antigo Testamento. Precisava focar na época que Jesus vivia, como eram os costumes no período, a influência dos romanos sobre os judeus, o que eles esperavam do novo Messias — conta Vivian de Oliveira, autora do primeiro episódio e uma das supervisoras do projeto.
Caio, que também integrou o elenco de “José do Egito” (2013), diz ter pesquisado muito para viver Pedro.
— Já tinha tido uma boa imersão nesse universo, mas quis estudar a Bíblia. As emoções são humanas, minha interpretação é o que o João pediu, a humanização dos personagens, mais a verdade dos sentimentos do que a parte épica ou mística.
Os outros 17 episódios têm no elenco nomes como Milhem Cortaz, Floriano Peixoto, Gracindo Júnior, Jonas Bloch, Roberto Bomtempo, Thierry Figueira e Rafaela Mandelli.

Fonte: O Globo

sábado, 18 de janeiro de 2014

Caio Junqueira perde 8 kg para viver o apóstolo Pedro em Milagres de Jesus

A nova minissérie da Record estreia na próxima quarta (22), às 21h45.


No próximo dia 22 de janeiro, estreia na a Record A minissérie Milagres de Jesus. O primeiro episódio, chamado A Pescada Maravilhosa, vai contar a história do pescador Simão, personagem vivido pelo ator Caio Junqueira, que se tornou discípulo de Jesus, passando a se chamar Pedro. Caio revelou ao R7 que perdeu 8 kg para viver seu novo papel.
— Eu protagonizo o primeiro capítulo de Milagres de Jesus, onde estão os milagres os apóstolos estão presentes e eu participo de todos os episódios. Pedro é um pescador, eu fui aprender a pescar e ainda perdi 8 kg, eu perdi e ponto, não vou falar o meu peso atual [risos].
Na passagem bíblica retratada na minissérie, os pescadores viviam um período de grande dificuldade e falta de peixe, na localidade da Galiléia. Caio chamou a atenção para o cuidado da cenografia que recriou embarcações de  2 mil anos atrás.
— Eu pude velejar em réplicas reais que rememoram barcos da época, nossa cenografia deu um show. Um engenheiro que desenvolveu as embarcações.
Dirigida por João Camargo, Milagres de Jesus terá 18 capítulos, com histórias e protagonistas independentes. Caio disse ao R7 que para ele interpretar o apóstolo Pedro é uma grande “responsabilidade”.
— Hoje eu estou tendo a oportunidade fazer trabalhos mais significativos na linguagem do cinema, fiz Tropa de Elite e Milagres também tem essa linguagem. Agora, interpretar o Pedro é uma responsabilidade muito grande, há uma pesquisa muito grande para esse trabalho. Eu trouxe as minhas emoções, os meus trabalhos de pesquisa para dar essa cara ao que a Vivian de Oliveira escreveu.
O elenco de A Pesca Maravilhosa conta também com Janaina Moura, Antonio Grassi, Mauricio Ribeiro, Rodrigo Vidigal, Erick Maximiano, Cassio Pandolfi, entre outros.  Além do Paraná, o Piauí também foi locação das gravações da série bíblica escrita por Vivian de Oliveira.

Fonte: R7